Exposições Permanentes

Escultura - Sala Aureliano Lima

Colecção de Esculturas de Aureliano Lima

Aureliano Lima nasceu a 23 de Setembro de 1916 em Carregal do Sal, terra natal que o viu crescer até aos primeiros cinco anos da sua infância, tendo, em 1921, ido viver durante alguns anos para Lagares da Beira (Oliveira do Hospital) com os seus pais.

Em 1936, já depois do pai ter emigrado para o Brasil, parte para a Figueira da Foz e, pouco tempo mais tarde, para Coimbra onde viria a instalar um pequeno atelier e aí elaborar as suas primeiras obras. Nestes momentos iniciais da sua carreira artística, os valores dramáticos assumem-se de importância extrema e passam a marcar um dos períodos mais significativos da sua vida.

Depois do contacto com a cidade mondeguina e de aí ter convivido com poetas e escritores, como Afonso Duarte, Paulo Quintela, Miguel Torga e Carlos de Oliveira, entre outros, a sensibilidade e o gosto pela arte continuavam infinitamente presentes em Aureliano. Este pulsar leva-o, a partir de 1959, a radicar-se em Gaia para aí prosseguir a sua vocação e consolidar a sua obra que se prolongaria por mais de quarenta anos de actividade criadora, tanto ao nível da escultura como da pintura e da poesia.

Enquanto escultor, Aureliano Lima foi um dos nomes mais representativos da escultura portuguesa dos últimos 50 anos.
Do seu trajecto fica uma notável produção artística sendo de destacar inúmeras esculturas em ferro, os bustos de Antero, Afonso Duarte, Camilo, Pascoaes, Torga e Pessoa, entre outros, assim como, as esculturas de grandes proporções existentes em alguns Jardins e nas Praças publicas de Gaia, Nelas, Arganil e Vila da Feira, para além de inúmeros trabalhos em gesso, metais e em madeira patentes em diversos museus nacionais, casas de cultura e colecções particulares.

Depois do seu falecimento, em Dezembro de 1984, o Museu Municipal passou a integrar no seu acervo, através de Maria Helena Barata Lima, viúva daquele ilustre escultor, um conjunto de dezasseis peças escultóricas, cuja doação, em 1990, viria a ser concretizada como um gesto de carinho e amor à terra que o viu nascer.

Salientam-se nesta colecção, produções artísticas em ferro recuperado e policromado que se inserem numa linguagem de tendência geométrica e abstracta de que foi um dos precursores, bem como esculturas em pedra, gesso, bronze e em madeira que poderá apreciar.

Data de Publicação: 12/12/2003